Imprimir

A Alegria Inenarrável

Escrito por Rodrigues de Abreu. Publicado em Rodrigues de Abreu

 

Não se pode descrever a alegria
de quem se encontra a si mesmo,
de quem afinal se compreende... 

Eu encontrei-me! Eu encontrei-me!

Um viajante vai pelo mundo.
Chega a um país de civilização diferente da sua,
que lhe parece bárbaro em costumes e língua,
onde os habitantes têm o ar sinistro e agressivo.
De repente, no seu desconsolo e abandono, ele encontra
outro homem que leva a mesmíssima angústia,
outro homem que fala uma língua aprendida na infância,
língua que lembra à memória dos dois
o mesmo país imenso e bondoso,
de um povo moreno e suave...
É enorme a alegria do homem que em terras longínquas
encontra um seu compatriota! 

Vai um viajante em longa jornada através do deserto,
ouvindo somente as vozes das feras e dos furacões.
Após dias de marcha e fadiga,
quando a esperança começa a morrer em sua alma,
sente chegarem homens que seguem o mesmo destino...
É enorme a alegria do homem que, em pleno deserto,
encontra um seu semelhante! 

Eu encontrei-me! Eu encontrei-me!
Ainda é maior a minha alegria!

 

Publicado no livro Macega Florida, em 1926. 

 

 

EMPRESAS COM
RESPONSABILIDADE SOCIAL
linha_sep_sfdum-dumemecarrara