Imprimir

Capivari – Patrimônio histórico

Escrito por Jehoval Junior. Publicado em Capivari

 

Casa do Barão de Almeida Lima

Casa térrea datada de 1842, construída no alimento do lote, com porão alto e entrada lateral.

Sua construção foi iniciada por iniciativa de um dos principais fundadores da cidade, Antônio Pires de Almeida Moura, neto do capitão-mor de Sorocaba, José de Almeida Leme.

Os trabalhos começaram em 1842, mas devido as suas responsabilidades com as produções das fazendas, as melhorias estruturais do povoado e a responsabilidade pela edificação da igreja, Antônio Pires foi adiando a conclusão ao longo dos tempos. A obra seria o seu novo solar, mas devido a sua morte em 1852, a viúva vendeu a construção – na fase de colocação do telhado – ao major Manoel Bernardino de Almeida Lima (nascido em Porto Feliz, em 5 de fevereiro de 1808. Foi um importante fazendeiro em Capivari. Mais tarde, em 1886 barão de Almeida Lima, título a ele concedido pelo imperador D. Pedro II por ter colaborado com a Vila, no ano de 1884 doando o edifício do “Coleginho” ).

O grande edifício de taipa pilada, de quatro águas, com 12 janelas para a Rua Fernando de Barros e seis para a praça padre Marques, possui também jardim, quintal e ostenta no portão de entrada, dois leões de terracota, de 1837.

Em 1878, foi o edifício mais importante da cidade: recebeu D. Pedro II e Dona Teresa Cristina, durante a terceira visita deles à Província de São Paulo.

Após o falecimento do barão – possuidor de inúmeras propriedades e sem filhos –, o único herdeiro universal, um sobrinho dele, alugou o prédio de 1910 a 1932 a Luiz Corazza, que transformou o edifício em um hotel chamado “Hotel Corazza”.

Localizada na Rua Tiradentes, 366, Centro, a casa foi tombada em 1975 pela Condephaat e é, ainda, um dos mais belos prédios da cidade.

 

Praça Rodrigues de Abreu e Praça Dr. Cesário Motta

Nelas estão as hermas de Rodrigues de Abreu (por Tarsila do Amaral), Amadeu Amaral (Victor Brecheret) e de Tarsila do Amaral (Pandolfo).

     

     

          

 

Santa Casa de Misericórdia

Fundada em 2 de janeiro de 1898, teve sua construção iniciada no mesmo ano, com o lançamento da pedra fundamental no dia 15 de agosto.

Foi inaugurada no dia 3 de junho de 1900 com capacidade para 24 leitos, duas enfermarias e cozinha.

Sofreu várias reformas e acréscimos ao longo dos anos:

  • Em 1917 foram construídos dois amplos salões destinados aos idosos;
  • Em 1925, foi construída a sala de operações e a capela;
  • Em 1929, foi inaugurado o Pavilhão Sinharinha Frota;
  • Em 1934, com dinheiro da campanha de ouro da Revolução Constitucionalista, foram reformadas as instalações da cozinha;
  • Em 1945, foi edificado o Pavilhão novo e instalado o primeiro aparelho de raio-X;
  • Em 24 de março de 1954, é iniciada a construção da Maternidade Carmela Dutra, cuja inauguração oficial ocorreu em 2 de junho de 1957.

 

 

EMPRESAS COM
RESPONSABILIDADE SOCIAL
linha_sep_sfdum-dumemecarrara