Imprimir

Virginia Bastos de Mattos

Escrito por Jehoval Junior e outros.

 

Virgínia Bastos de Mattos nasceu em São Paulo em 20 de outubro de 1915. Filha de Maria Luiza Soares Bastos e do desembargador Benedicto Alípio Bastos, estudou na Escola Normal Caetano de Campos, e formou-se em Filosofia na Faculdade de São Bento, na capital do estado.

Desde 1949 reside em Capivari, para onde veio quando seu marido, Carlos Lopes de Mattos, escolheu nossa cidade para lecionar francês e filosofia na Escola Estadual Padre Fabiano.

Interessada na valorização e no resgate da história da cidade, acompanhou seu marido no levantamento da vida e da obra de Rodrigues de Abreu, do que resultou o livro Vida, paixão e poesia de Rodrigues de Abreu, obra de imenso valor para a literatura pátria.

Além disso, procurou fazer com que fosse reverenciada, todos os anos, a memória do poeta, surgindo daí a instituição da homenagem ao ilustre capivariano no mês de setembro, a qual vem se realizando há dez anos com a participação do povo, e especialmente dos alunos de nossas escolas.

Dona Virgínia, como é por todos chamada, participa da vida religiosa, sendo uma das voluntárias que mantém ativa a Biblioteca Padre Euzébio, onde atende, diariamente, inúmeras pessoas, destacando-se o atendimento de estudantes que a procuram a fim de receberem dela orientação para pesquisas escolares.

Preocupada com questões sociais, participou e continua participando de atividades de promoção social, principalmente no apoio à Associação de Serviços e Assistência Social – ASAS de Capivari, fundada há muitos anos pelo Padre Teodulo.

É membro atuante do Movimento Capivari Solidário, onde coordenou a publicação do livro A ronda das ruas: a história nas ruas de Capivari, contendo inúmeros e valiosos dados históricos da cidade e do povo capivariano.

Coordena pesquisa sobre a vida e a obra do escritor capivariano Léo Vaz, procurando mais uma vez, sempre em silêncio, sem alarde, mas com intenso entusiasmo, valorizar a memória de nossa cidade. O trabalho deu origem ao livro Léo Vaz: o cético e sorridente caipira de Capivari.

Em 2008 recebeu da Câmara Municipal de Capivari o título de cidadã capivariana.

 

 

ARTIGO RELACIONADO:

 

 

EMPRESAS COM
RESPONSABILIDADE SOCIAL
linha_sep_sfdum-dumemecarrara